Terceirização: um estudo sobre a percepção do trabalhador formiguense

Diny Gabrielly de Miranda Martins, Arlete Aparecida de Abreu, Manuela de Carvalho Rodrigues

Resumo


Este artigo analisa os efeitos do processo da terceirização de serviços na prática empresarial. O foco é a influência dessa forma de flexibilização trabalhista na vida do profissional terceirizado. Outros temas abordados nesse artigo são a regulamentação da terceirização no Brasil e a precarização das condições de trabalho. O estudo possui abordagem qualitativa, tendo como objetivo identificar a percepção que os colaboradores terceirizados têm de sua situação em relação aos colaboradores próprios da organização. Para tanto, utilizou-se as técnicas de entrevista e análise de conteúdo. Foram entrevistados 13 profissionais contratados na modalidade terceirizada em organizações instaladas na cidade de Formiga/MG. Os resultados apresentam diferenças de tratamento entre trabalhadores decorrentes do processo de terceirização. Identificou-se também, que essa atitude pode afetar a satisfação e a motivação do trabalhador terceirizado.


Palavras-chave


Terceirizado; Diferenças de tratamento; Satisfação; Motivação

Texto completo:

PDF

Referências


BALDIN, Nelma; MUNHOZ, Elzira M. Bagatin. Snowball (bola de neve): uma técnica metodológica para pesquisa em educação ambiental comunitária. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 10., 2011, Curitiba. Anais... Curitiba: PUCPR, nov. 2011. p. 329 – 341.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Câmara. Projeto de Lei Ordinária. PL 4.330, de 09 de novembro de 2004. Dispõe sobre o contrato de prestação de serviço a terceiros e as relações de trabalho dele decorrentes. Disponível em: . Acesso em: 26 maio. 2016.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Súmula nº 331. Contrato de prestação de serviços. Legalidade, 2011. Disponível em: . Acesso em: 31 maio. 2016.

BRASIL. Lei 13.429, de 31 de março de 2017. Altera dispositivos da Lei no 6.019, de 3 de janeiro de 1974, que dispõe sobre o trabalho temporário nas empresas urbanas e dá outras providências; e dispõe sobre as relações de trabalho na empresa de prestação de serviços a terceiros. Disponível em: . Acesso em 05 abr. 2017.

CAIRO JR., José. Curso de direito do trabalho: direito individual e coletivo do trabalho. 10. ed. Bahia: JusPodivm, 2015. 1211 p.

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010. 579 p.

CORCETTI, Elisabete; BEHR, Ricardo Roberto. Trabalho terceirizado e qualidade de vida: o caso dos trabalhadores subcontratados do setor metalmecânico da região da grande Vitória (ES). In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 33., 2009, São Paulo. Anais... São Paulo: EnANPAD, 2009. p. 1-16.

COSTA, Silvia Generali. O pai que não é o patrão: vivências de sujeitos terceirizados no ministério público do estado do Rio Grande do Sul. Organizações & Sociedade, Salvador, v.14, n. 42, p. 97 - 113, Jul./Set. 2007.

DELGADO, Mauricio Godinho. Curso de direito do trabalho. 13. ed. São Paulo: LTr, 2014.

DRUCK, Graça. Trabalho, precarização e resistências: novos e velhos desafios? Caderno CRH, Salvador, v. 24, n. spe 01, p. 37-57, 2011.

FIGUEIREDO, Marcelo; ALVAREZ, Denise; ATHAYDE, Milton; SUAREZ, José Diego; PEREIRA, Renata. Reestruturação produtiva, terceirização e relações de trabalho na indústria petrolífera offshore da Bacia de Campos (RJ). Gest. Prod., São Carlos, v. 14, n. 1, p. 55-68, jan.-abr. 2007.

FOGAÇA, Natasha; COELHO JR., Francisco Antônio. A hipótese “trabalhador feliz, produtivo”: o que pensam os servidores públicos federais. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 13, n. 4, p. 759-775, Out./Dez. 2015.

FRANCO, Tânia; DRUCK, Graça; SILVA, Edith Seligmann. As novas relações de trabalho, o desgaste mental do trabalhador e os transtornos mentais no trabalho precarizado. Revista brasileira de saúde ocupacional, São Paulo, v. 35, n. 122, p. 229-248, 2010.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GODOY, Arilda Schmidt. Introdução à Pesquisa Qualitativa e suas Possibilidades. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 57-63, 1995.

GRAMISCELLI, Yolanda; PATRUS-PENA, Roberto; ASSBÚ, Lícia Boechat. Gestão dos terceirizados: responsabilidade social ou risco de passivo trabalhista? In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 33., 2009, São Paulo. Anais... São Paulo: ANPAD, 2009. p. 1-16.

LAVILLE, Christian; DIONNE, Jean. A Construção do Saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artes Médicas do Sul; Belo Horizonte: EDUFMG, 1999.

LOPES, Ana Luiza Szuchmacher Verissimo; SILVA, José Roberto Gomes. Casos de terceirização e a influência sobre o contrato psicológico de profissionais de TI. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, Recife, v. 6. n. 2, p. 249-270, 2010.

MACHADO, Camila Nunes; VANZELLA, Clailde; SILVA, Helton Alcioni; MECCA, Marlei Salete. A terceirização das atividades dos serviços de hospedagem hoteleira sob a ótica de custos, legalidade e satisfação dos envolvidos. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CUSTOS, 15., 2008, Curitiba. nov. 2008. Anais... Curitiba: nov. 2008.

MACHADO, Sidnei. A regulação da terceirização no Brasil: pontos críticos. Encontro de professores das Faculdades de Direito da Universidade Federal do Paraná (Brasil) e da Universidade da República (Uruguai). 2013, p.3. In: BLOG DA BOITEMPO. Dossiê: Não ao PL 4330 da terceirização. 2015, p. 2. Disponível em:

. Acesso em: 02 jun. 2016.

MAGALHÃES, Yana Torres; CARVALHO NETO, Antônio Moreira; GONÇALVES, Pedro Paulo Barros. Os múltiplos desafios da gestão de terceirizados: a experiência dos gestores de contratos. Revista de Ciências da Administração, Florianópolis, v. 12, n. 26, p. 116-143, jan./abr. 2010.

MAGNO, Atila; BARBOSA, Silva. A naturalização da identidade social precarizada na indústria do alumínio primário paraense. Sociologias, Porto Alegre, v. 12, n. 23, p. 268-303, jan./abr. 2010.

MARTINS, Sergio Pinto. Direito do trabalho. 29. ed. São Paulo: Atlas, 2013. 980 p.

MIRANDA, Carlos Roberto. Ataque ao mundo do trabalho: terceirização e seus reflexos na segurança e saúde do trabalhador. Disponível em: https://www.google.com.br Acesso em: 16 ago. 2016.

OLIVEIRA, Ana Lucia Amaral. Terceirização e satisfação com o trabalho. 2009. 73 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Rio de Janeiro, 2009.

PICCININI, Valmíria Carolina; ALMEIDA, Marilis Lemos; OLIVEIRA, Sidinei Rocha. Sociologia e administração: relações sociais nas organizações. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011. 300 p.

PINTO, Márcia Felizardo Fonseca; QUELHAS, Osvaldo Luiz Gonçalves. São os terceirizados “pessoas” para a organização? Organização & Estratégia, v. 3, n. 3, p. 244-253, set./dez. 2007.

PRADO, Edmir Parada Vasques; TAKAOKA, Hiroo. Terceirização de serviços de tecnologia de informação em organizações brasileiras. Revista de Gestão USP, São Paulo, v. 15, n. 2, p. 99-112, abr./jun. 2008.

RESENDE, Ricardo. Direito do trabalho esquematizado. 5. ed. São Paulo: Método, 2015.

ROBBINS, Stephen P.; JUDGE, Timothy A.; SOBRAL, Filipe. Comportamento organizacional: teoria e prática no contexto brasileiro. 14. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010. 633 p.

ROSA, Maria Virgínia P. do Couto; ARNOLDI, Marlene Aparecida G. Colombo. A Entrevista na Pesquisa Qualitativa. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

SANTOS, João Alberto. Terceirização - Um manual segundo Queiroz. Revista de Ciências Gerenciais, São Paulo, v. 11, n. 13, p. 151-159, jun. 2007.

SILVA, Ciro Pereira. A terceirização responsável: modernidade e modismo. São Paulo: LTr, 1997.

SILVA, Lara Raquel Fonseca; MOUSQUER, Letícia Dutra; SCHADECK, Marise; RODRIGUES, Luis Adriano. A influência da motivação na produtividade do trabalho na representação comercial. Revista de Administração IMED, Rio Grande do Sul, v. 5, n. 3, p. 241-249, set./dez. 2015.

TESSARO, Ivan José; DOENHA, André Simionato. Críticas ao Projeto de Lei da Terceirização – PL 4.330/2004. Disponível em: . Acesso em: 10 maio. 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1980-3575 Revista Interatividade © 2019 Firb Editora - Faculdades Integradas Rui Barbosa