Sexta-feira, 03 de Julho de 2020 - 17:17:32

orientacao

 

Aos Alunos, Professores e Coordenadores de Curso.

 

De acordo com planejamento elaborado pela Comissão Própria de Avaliação – CPA – estamos desenvolvendo o 10.º processo do “Programa de Avaliação Institucional FIRB” que a partir de 2004 passou a ser norteado pela Portaria do Diretor n.º 05/2004 e ao que dispõe a Lei Federal n.º 10.861 de 14 de abril de 2004.

O processo está informatizado e deve ser operacionalizado por via eletrônica em dias e horários pré-estabelecidos pela Direção da Escola, conforme disponibilidade dos laboratórios de informática das FIRB.

De acordo com o cronograma de execução física deveremos iniciar o processo de preenchimento em 18 de setembro e encerrá-lo em 25 de outubro de 2017.

As turmas de alunos serão distribuídas sob responsabilidade de um dos professores do curso que acompanhará a classe até o laboratório para realização da avaliação.

O aluno que não fizer no horário estabelecido poderá acessar o site através do seu celular, tablet, computador ou notebook em outro lugar e horário e realizar a avaliação.

Para realizar a Avaliação Institucional o aluno deverá acessar o site www.firb.br com seu RA (Nº de Matrícula) e Senha.

Os questionários estarão disponíveis no Menu Questionário, localizado do lado esquerdo no Portal do Aluno/Professor, conforme figura abaixo:

 

questionario

 

 



Andradina, 15 de setembro de 2017
Professora Maria das Graças Gomes
Coordenadora da CPA

 




Plano de Trabalho - 2015/2017

Escrito por Firb.

I - Elaboração da Proposta de autoavaliação pela CPA

  • Planejamento da autoavaliação da IES;
  • Apresentação da Proposta Autoavaliação2015/2017;
  • Construção do Cronograma de Ações/Atividades da autoavaliação;
  • Construção do Plano de Ação da CPA;

II- Sensibilização

  • Divulgação do Plano de Ação da CPA;

III - Colocar no site da IES o Plano de Ação da CPA;

IV - Reunião com os membros da CPA e a gestão, com as coordenações de curso, e com os encarregados de setores e serviços para apresentar o Plano de Ação da CPA e reforçar a importância da autoavaliação e do envolvimento sinergético de toda a comunidade acadêmica das FIRB;

V - Divulgar informações referentes a avaliação de desempenho institucional, os resultados que podemos alcançar e a importância da participação de toda a comunidade para os acadêmicos, professores e colaboradores das FIRB.

VI - Construção dos Instrumentos de Coleta de Dados:

  • Reunião da CPA – definir quais os objetivos específicos de cada instrumento de avaliação;
  • Convidar membros da comunidade acadêmica para participar da elaboração de instrumentos específicos;
  • Digitação dos instrumentos / Lançamento das questões no SITE

VII - Levantamento de dados:

  • Criação de Subcomissões para levantamento de dados e análise dos dados;
  • Levantamento de dados;
  • Análise de dados;
  • Consolidação de dados (Relatórios);
  • Apresentação dos dados consolidados (Relatórios).

VIII - Elaboração de relatório final e apresentação dos resultados à comunidade acadêmica:

  • Elaboração do relatório final;
  • Apresentação do relatório final.

 

Cronograma das ações da autoavaliação Institucional das FIRB em 2015/2017

Publicado em Avaliação Institucional

OBJETIVO AÇÕES PRAZO
I -  Implantar a Autoavaliação das FIRB, (ciclo: 2015/2017) Postar o relatório 2013/2014 no  E-MEC Março 2015
Analisar o relatório 2013/2014 Março 2015
Fazer um levantamento de formulários da IES para reformulação dos questionários de autoavaliação Abril setembro de 2015
Elaborar instrumentos Outubro e novembro 2015
Solicitar a reestruturação do software de aplicação da autoavaliação Dezembro de 2015
Inserir 1º relatório parcial no e-mec 31 de março de 2016
Analise dos PPCs Janeiro a maio de 2016
Verificação do Plano de Carreira Maio de 2016
Realizar pré-teste junto aos segmentos:  Discentes, docentes e Técnico Administrativo; Junho de 2016
-Realizar reuniões  de sensibilização junto aos segmentos envolvidos na autoavaliação Agosto de 2016
- Elaborar cronograma  para coleta de dados; Setembro de 2016
- aplicação dos instrumentos de autoavaliação aos diversos segmentos das FIRB Outubro de 2016
- Reunião com os segmentos para coletas de dados e informações Dezembro de 2016 a março de 2017
-Produzir e depositar o 2º relatório  parcial no E-MEC Março 2017
- Dar continuidade ao processo de autoavaliação: Processar os  dados e coletar todos os documentos necessários. Abril a Outubro 2017
-Elaborar plano de divulgação; Outubro 2017
- Produzir  Relatório final Novembro 2017 a fevereiro de 2018
-Socializar resultados  Março 2018

 

- Postar o Relatório Final no E-MEC

 

31 de Março2018

 

 

Componentes do Plano de Trabalho 2015/2017

Escrito por Firb Ligado .

1 - Coleta de dados quantitativos junto aos setores administrativos e pedagógicos da instituição:

Este procedimento tem como objetivo um monitoramento continuo das atividades da instituição e um caráter tanto informativo quanto aplicado ao redirecionamento das ações da faculdade. Os dados gerados também servirão de fonte (em análise de série histórica) de informação para elaboração dos relatórios de avaliação institucional. A fonte principal de informação será o Censo da Educação Superior, mantido pelo INEP, com atualização anual.
Outras informações necessárias à avaliação, não constantes no referido banco de dados, serão fornecidas pelo setor da faculdade responsável por tal atividade, devendo ser certificados pelo mesmo.

2 - Construção de instrumentos de avaliação para diferentes segmentos da comunidade acadêmica, quando necessário:

Será construído instrumento (questionário) de avaliação para os segmentos que são propostas de análise da CPA, dentro do contexto institucional. Para tanto, será analisada a realidade de cada segmento a ser avaliado e, posteriormente, serão realizadas pesquisas (em sites) de modelos de instrumentos, para em reuniões da CPA com membros da comunidade acadêmica e do setor, criar o novo instrumento. Em seguida, será também apresentada a gestão da IES, que voltará para aprovação final da CPA. Desta forma, busca-se o diagnóstico mais próximo da realidade do segmento.

Para avaliação do curso serão considerados os seguintes indicadores:

  • Resultado do ENADE,
  • Relatório de Justificativa do resultado do ENADE,
  • Resultados da autoavaliação institucional,
  • Avaliação dos egressos, 
  • Documentos oficiais do curso, relatório do INEP de autorização e/ou reconhecimento, avaliação do estágio curricular, 
  • Avaliação do curso pelos discentes e docentes de acordo com as dimensões do SINAES.

3 - Aplicação de instrumentos de avaliação aos diferentes segmentos da comunidade acadêmica:

Conforme o cronograma de ação da autoavaliação institucional será aplicado diferentes instrumentos de consulta à comunidade acadêmica, cujos conteúdos, dos instrumentos já existentes, estão detalhados em anexo, e os construídos serão anexados, posteriormente.

Os instrumentos vaso desde questionários de perguntas e respostas, a visitas a setores, reuniões com segmentos e entrevistas com grupos e pessoas afins. Esses instrumentos considerarão diferentes aspectos das atividades acadêmicas na faculdade, como: qualidade dos cursos de graduação, de pós-graduação e do programa de formação especial para docente, perfil do corpo docente da instituição, infraestrutura oferecida, condições de trabalho disponíveis para o corpo docente e grau de satisfação dos serviços oferecidos, acompanhamento dos egressos, qualidade dos meios de comunicação, abrangência dos meios de opinião da sociedade civil, grau de satisfações com a realização dos eventos da IES e dos cursos, qualidade dos equipamentos e ferramentas tecnológicas disponíveis na instituição, grau de satisfação dos concluintes e perfil do ingresso.

Os instrumentos serão disponibilizados a todos os membros de determinada categoria da comunidade acadêmica, sempre com adesão voluntária. Em casos especiais, poderá ser trabalhado com amostragem.

Outro aspecto importante da adesão voluntária é o estímulo ao estabelecimento de uma cultura de avaliação institucional e a possibilidade de mensuração dentre de cada segmento da comunidade acadêmica das FIRB. A aplicação do questionário será feita via internet, onde ficará disponível (no portal universitário) por tempo pertinente para cada grupo da comunidade acadêmica. O acesso aos participantes será certificado por meio de sua senha universitária de acesso ao site da instituição, garantindo o sigilo e impedindo duplicações de respostas.

Os dados coletados serão armazenados no banco de dados do portal. Este banco será de uso exclusivo da CPA, com controle de acesso por senha somente ao coordenador da comissão e ao coordenador do sistema de informação do projeto, quando necessário para fins de manutenção e ajustes do sistema, sendo posteriormente trocada a senha.

4 - Aplicação da técnica de reuniões de grupos e/ou de segmentos institucionais para análise das dimensões institucionais (SINAES):

A análise em grupo (reuniões) como método qualitativo de avaliação, permite a investigação aprofundada de um determinado tema, a exploração e entendimento quanto às idéias e reações, dos integrantes dos grupos que representam uma amostra do universo objeto de estudo. As reuniões para análise das dimensões que compõem a 2ª fase do processo serão previstas no cronograma de ação da autoavaliação institucional e os grupos serão selecionados de acordo com as dimensões e funções afins.

No caso das cinco coordenações de curso, será providenciada a inserção de um ou mais coordenadores em cada dimensão, considerando a visão e atividade prática institucional que o cargo oferece. Será realizada uma reunião inicial para divisão dos grupos e orientações gerais, seguindo as orientações do INEP. Os grupos se reunirão para análise da dimensão contando com o levantamento de indicadores afins, conforme orientações da CPA e, posteriormente, apresentará para os demais grupos em assembléia. Apresentadas todas as análise, realiza-se discussão final e sistematiza o relatório de análise das dimensões. Todas as reuniões deverão ter registro escrito e fotográfico, para compor o relatório final do processo da autoavaliação institucional.

5 - Elaboração de relatórios parciais e finais do ciclo de avaliação institucional:

Com o objetivo de sistematizar e organizar os dados coletados e interpolar os diferentes instrumentos de avaliação, quantitativos e qualitativos, para cada avaliação realizada durante o ano, será sistematizado um relatório, com documentos comprobatórios anexados, inclusive da análise das dimensões. O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) das FIRB será o balizador do processo de avaliação institucional.

6 - Avaliação Externa da instituição e do processo da autoavaliação institucional:

A instituição deverá receber avaliações externa: institucional e de curso, que será realizada por uma comissão de profissionais, avaliadores do INEP/SINAES/MEC. Serão utilizados os instrumentos de avaliação institucional externa e de curso, conforme o SINAES /INEP/MEC, e terá como ponto de partida os relatórios de Autoavaliação produzidos pela CPA.

7 - Ações de estímulo para a participação da comunidade acadêmica no processo de autoavaliação institucional:

A CPA deve contar com ampla participação da comunidade acadêmica em todas as fases do da execução da autoavaliação, levando em consideração ser um processo político institucional.

Nesse sentido as propostas incluídas neste Plano de Ação dever ser analisadas pela mesma. Considerando o prazo estipulado no cronograma de ações e o período de realização da avaliação (2009/2010), a comissão decidiu pela elaboração do atual Plano de Ação e submissão do mesmo à comunidade, para avaliação e modificações apontadas como necessárias. Portanto, os instrumentos de avaliação propostos no plano poderão ser modificados até a sua implantação.

 

 

Apresentação - Avaliação Institucional

O Plano de Ação ora apresentado planeja o processo da Autoavaliação Institucional, que vem se consolidando nas Faculdades Integradas Rui Barbosa - FIRB, de forma contínua e integrada, garantindo a efetividade do processo e do alcance de suas metas e objetivos, durante o desenvolvimento das ações e atividades da avaliação da instituição que é um dos instrumentos centrais do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES.
A Comissão Própria de Avaliação (CPA), responsável pela condução e articulação do processo de avaliação interna, tem agora um novo desafio, trabalhar a autoavaliação durante todo o ano letivo. Para isso, apresenta seu Plano de Ação onde no primeiro semestre letivo trabalhará com a avaliação voltada para as questões pedagógicas e no segundo semestre com as questões voltadas para a gestão, infraestrutura e pedagógicas.
Entretanto, vale ressaltar que durante o processo haverá sempre a necessidade de estarmos avaliando os itens apontados como fragilidades e acompanhando os itens apontados como potencialidades no último processo de Auto Avaliação, avaliar também as atividades e eventos promovidos pelos cursos e o trabalho realizado e os instrumentos utilizados pela CPA.
A coleta dos dados a partir das respostas aos questionários, das reuniões para análise e quantificação de dados e indicativos dos setores, terá como referência as dimensões do SINAES, considerando suas análises qualitativas e quantitativas, bem como o diagnóstico de suas potencialidades e fragilidades.
Espera-se, com a implantação desse processo de avaliação continuar apresentando para a gestão das FIRB, uma análise do seu desempenho em todos os seus níveis e aspectos.


CPA/FIRB